Domótica - Questões iniciais


(Rui Fernandes) #42

Viva,
Estou tb em processo de planeamento de uma moradia e irei implementar alguma domotica caseira (leia-se automacao). No meu caso, ainda estou a tentar evitar enveredar pelo HA, e tentar usar o Blynk com nodemcu’s pela casa, para gerir o uso da energia de paineis, AQSs, temperatura nas divisoes, estores, subredes aquecimento central, rega, etc.

Vou tentar dar o meu contributo a todos, com algumas ideias.
Relativamente à solucao de instalacao electrica, o contributo que posso dar é o que irei implementar. Estou a tentar planear ter ± para casa divisao (quartos, sala, cozinha, WCs) uma caixa de derivacao grande onde os fios dos interruptores passam antes de irem aos estores, etc, Aí, penso colocar os nodemcu’s/sonoffs/relés, e presumo que nao deverá nesse caso encarecer muito o projecto de electricidade dado que o desvio nao é grande, e tenho espaco para equipamentos. Dessa forma, consigo manter os interruptores físicos com ligacao standard, caso os nodemcu’s falhem de alguma forma.

Já agora, eu tenho algumas reservas em permitir abrir estores (de seguranca) com equipamentos comandados pela internet, especialmente através de servidores na China (tal como funcionam os interrutores touch com wifi indicados pelo gusmoni). Já li algures de um relato tuga, que os estores abriram sozinhos durante a noite. Daí, que estou a planear no meu sistema apenas permitir fechar via software.
Que acham?

(Desculpem a falta de muitos acentos, mas escrevo com teclado ingles)


(Luís Miguel Andrade) #43

Essa caixa grande que referes é praticamente um quadro de domotica. Pode ser uma solução para evitar muitos cabos até ao quadro.

Contudo, podes ter sempre problemas de Ghost switch se os fios do sensores (interruptores, sensores,…) forem compridos, fraco isolamento ou estejam perto de perto de zonas com interferência eletromagnética. Mas, pode ser ultrapassado com bom isolamento e low pass filters.

No que respeita a ligações ativadas pelo exterior existem por norma 3 motivos: o que indiquei acima, os firmwares originais que ligam a cloud e intrusão na rede interna.

No caso dos firmwares originais podes contornar a situação de 2 formas: alterando o firmware ou isolando as comunicações destes equipamentos ao exterior no router.

Para evitar intrusão na rede interna, um bom router devidamente configurado (portas fechadas e password forte) evita a grande maioria dos ataques.

Um dos principais motivos de utilizarmos o HA e firmwares opensource nos equipamentos é conter toda a gestão e conhecimento do funcionamento a nível da rede local e independente dos fabricantes, garantindo mais segurança, independência e versatilidade.

Utilizares aplicações que dependam das nuvens não parece ser boa política se pretenderes dormir descansado. :wink:


(Rui Fernandes) #44

Sem duvida Luis, é basicamente um quadro de domotica, cujo planeamento é necessario antes da construcao de uma casa.
O único elemento critico para mim serao os estores, em que prefiro implementar eu com nodemcu e alguns relés uma forma automatica de fechar apenas. Assim, em caso de ataque, no pior dos cenarios sabem se os estores estao abertos, fecham-os e ligam o aquecimento, penso que posso viver com isso.
Relativamente a problemas de ghost switch, é de facto de ter cuidado, no entanto, a nivel de sensores de temperatura, na maioria (nodemcu) vao estar por exemplo numa sanca do teto falso, e assim isolados de interferencias e espero eu num bom local para medir a temperatura.

Nao sei se alguem tem uma quantidade de nodemcu’s assim (uns 20-30) pela casa ligado ao wifi, mas se souberem de algum potencial problema pf avance :slight_smile:

PS: nao estava a tentar “vender” nenhum produto comercial, era apenas para contextualizar/exemplificar como os nodemcu’s podem trabalhar e seguramente a combinacao tasmota+HA parece resultar muito bem, ja que tb procuro uma solucao muito lowcost.


(Luís Miguel Andrade) #45

Se o elemento mais crítico são os estores então o nodemcu não é a melhor solução, caso pretendas ter fiabilidade no hardware e software, tens melhores alternativas. Para garantir ainda maior segurança o ideal é ter outro nível de monitorização independente, como sensores de intrusão.

A parte do ligar o aquecimento em caso de intrusão, não entendi muito bem. Pretendes que o intruso fique desconfortável? :wink:

A melhor posição para os sensores de temperatura não é no teto…

A quantidade de dispositivos wifi tipo NodeMCU depende do router, AP, tipo de classe de rede e mask.

Para low cost com fiabilidade o HA e tasmota são muito boas opções. Em termos de hardware é que acho que devias pensar melhor. Afinal, depois do equipamento estar flashado a base de software é igual para todos, só mudas as configurações.


(Rui Fernandes) #46

Certo, mas o tasmota vem com updates OTA, que embora muito prático, para mim é uma fragilidade no caso de estores de seguranca. Nos estores, para já nao me preocupo com a solucao que encontrei, já se quiser pensar em sensores de intrusao como dizes ou CCTV, entao o HA deverá ser bem melhor integrador. Apenas estava a dizer que o pior que pode acontecer na casa (na minha implementacao) em caso de ser atacado pelo wifi/cloud (ou alguem ficar a saber a pass do wifi), é o atacante poder fechar os estores e ligar/desligar AQS, aquec. central e electro-valvulas, que embora chato, nao é o fim do mundo. Nao digo que é a melhor implementacao, mas é a que me agrada mais, e a domotica para ser util, tem de ser um pouco ao gosto de cada um.

O meu comentario inicial era mais para sugerir a solucao de passar a fiarada pela caixa de domotica, aos leitores do topico, para resolver o problema da instalacao eletrica referida anteriormente.

A implementacao de domotica que estou a implementar é bastante abrangente e com muitos requisitos. Os prototipos já funcionam, e apenas quis dar uma muito breve descricao, pois pode ser um pouco “off topic”.


(Jorge Assunção) #47

O que é que os updates OTA têm a ver com segurança? Sabes o que é um update OTA?

Além disso não é um estore fechado que impede alguém de entrar em casa alheia.


(Rui Fernandes) #48

No limite, sabendo a pass do wifi, permite “flashar” o nodemcu encarregue daquele estore, com a logica que um atacante quiser, como por exemplo abrir imediatamente via software um estore (persiana exterior) de seguranca. Um estore (persiana exterior) de seguranca nao impede a entrada pela janela, mas obriga a dar nas vistas ao abrir à forca-bruta.
Nao estou a dizer que atacar via update OTA é facil, estou só a dizer que pode ser uma forma possivel.


(Luís Miguel Andrade) #49

Só tens OTA se pretenderes. Basta eleminar essa funcionalidade no tasmota ou meter em hardcoded o servidor que pretendes. Sendo um firmware opensource podes fazer o teu fork e compilar outro
binário.

Em relação a vulnerabilidades da rede Wi-Fi podes também garantir outros níveis de segurança ao nível de routers, firewalls, ips, dps, APs, certificados, …
Contudo, se o objetivo é ter um alto nível de segurança e fiabilidade o caminho não é utilizar só redes sem fio.

No que respeita a segurança não existem sistemas totalmente perfeitos, económicos e fiáveis. Nem muito menos devemos depositar a confiança em um único sistema e tecnologia. Contudo, é possível atingir níveis elevados recorrendo a redundâncias e paralelismos, em termos de hardware e software.


(Ricardo Silva) #50

Acompanho um pouco a ideia do @Luis_Andrade em que se queres segurança esquece o wireless…


(Rui Fernandes) #51

Penso que me posso ter feito entender mal. A ideia nao é querer mais seguranca, mas sim nao comprometer a seguranca física existente. Nao tenho qualquer problema com o wireless, antes pelo contrário.
O potencial problema da seguranca prende-se apenas com a automacao dos estores/persianas que referi, sendo estes uma pequena parte de todo o projecto que estou a implementar. Logo, se nao permitir abri-los via domotica, entao nao preciso de me preocupar muito se a comunicacao entre dispositivos é segura, pois nao haverá muito a arriscar. De notar que vou manter as ligacoes standard, de forma a mesmo que fique sem wifi ou um nodemcu avariar por exemplo, os estores/persianas continuam a poder ser abertos e fechados pelos interruptores normais.


(Luís Miguel Andrade) #52

Permitir só fechar também é considerado, na minha prespectiva, uma falha de segurança na mesma lógica que apresentas.


(Antonio Costa) #53

Qual o motivo para a escolha de cada um desses?

Vou começar a construção da minha moradia e felizmente descobri este fórum antes da obra começar.
Ainda percebo muito pouco de domótica mas estou aqui com muita vontade de aprender.
Do que sei, pensava automatizar a minha casa utilizando circuitos independentes por divisão (iluminação e tomadas) e utilizando módulos sonnoff ou shelly no quadro.

Só ainda não consegui perceber se ao utilizar o quando utilizar os sonnof ou Shelly. Do que estive a estudar até agora, os sonnoff devem ser utilizados quando estão ligados directamente à fase, ou seja, estão sempre ligados.
Os Shelly devem ser utilizados quando são utilizados em paralelo com um interruptor mecânico.
Este entendimento é correcto?


(Tiago Marques) #54

Não propriamente. Tanto os sonoff como os shelly estão sempre ligados à fase (e ao neutro). A diferença entre eles é, para efeitos de ligação, que com o shelly é tudo a 230v, incluindo a ligação ao interruptor, e no sonoff a ligação ao interruptor é feita a 3.3v.
Tanto um como o outro podem ser ligados a interruptores mecânicos (normais ou de mola) a grande vantagem do shelly é caber atrás do interruptor.

Outra coisa que deves equacionar é a ligação. Com shellys e sonoffs dependes do wi-fi para que tudo funcione. Não seria a minha primeira opção para uma obra feita de raiz. Se tens a possibilidade de passar cabo devias pensar em KNX, ou no mínimo centralizar os equipamentos no quardro(pe. Sonoff 4CH) e levar até aos interruptores cabo. O @Mervoes fez uma instalação destas há pouco tempo.

Se tiveres alguma folga no orçamento ( como se existisse tal coisa ) ficas melhor servido com knx integrado com o homeassistant. E knx é com o @Luis_Andrade


(Rodolfo) #55

Não obstante do que o @tmarquespt te disse,para mais fácil aconselhamento era bom nos indicares também o orçamento disponivel , a que estas disposto a gastar.
Pois isso é logo um factor eliminatório para alguns casos.


(Antonio Costa) #56

Muito obrigado a ambos pela (rápida) resposta.
Eu confesso que ainda não pensei muito na questão do orçamento. Mas diria que entre 1 e 2K é um valor que me parece razoável. Mas estou a estudar as várias opções.
Os Sonoffs / Shellys já tenho um ordem de grandeza < 1K - do KNX não faço a menor ideia de quanto me possa custar.

Nesta fase estou na iminência de “entregar” a sub empreitada de eletricidade e pichelaria e para evitar adicionais em obra queria já dizer ao eletricista para incluir no orçamento as boas práticas para depois me permitir alguma flexibilidade para o futuro:
Por exemplo:

  • Caixas de luz maiores (algum tamanho recomendado?)
  • Circuitos de tomadas e iluminação independentes por divisão
  • Circuitos dos principais “gastadores” independentes.

Têm alguma recomendação adicional?

(Vi agora que há um almoço de confraternização para dia 6 e já tenho uma saída programada para esse fim de semana! É preciso ter azar…)


(Marco Ervões) #57

Fale com um electricista e ele que lhe apresente vários cenários, de que adianta andar aqui a pedir opiniões se depois o electricista não conhece ou não sabe instalar?

A não ser que seja voce a fazer.


(Luís Miguel Andrade) #58

Se pretenderes ter mais esclarecidos sobre knx… podes entrar nesta categoria que criamos recentemente só para desmistificar e dar exemplos.

https://forum.cpha.tech/c/knx

Relativamente ao valor (pode ficar até inferior a wifi)… na minha opinião, para um instalação de raiz e retorno do investimento (imediato e/ou a médio/ longo prazo), não pensava duas vezes.


(Antonio Costa) #59

Vou ter que ser eu a fazer.
O eletricista já implementou um sistema KNX, mas como ainda não sei se tenho dinheiro para ele, quero primeiro estudar a solução que melhor assente no meu perfil e depois ponho mãos à obra.
Só não quero fechar portas, ou seja, deixar as coisas feitas de forma a que no futuro não consiga implementar o que quero.

Para já, vou tentar pedir tubos um bocado mais grossos e tentar centralizar tudo no quadro.Quero ver se lhe peço caixas um bocado maiores para se quiser colocar Shellys no futuro o tamanho não ser um entrave.

@Luis_Andrade Obrigado pela partilha. Já tinha ouvido falar no KNX há uns 10 anos por alguém que trabalhava na área mas sempre tive a ideia que era muito caro. Vou estudar o tema.


(Marco Ervões) #60

A meu ver o KNX é caro. Não me venham com cantigas, pois um módulo para 4 saídas por exemplo custa perto de 200€, eu com sonoff 4ch gasto 15€ no máximo para ter as 4 saídas.

A minha casa foi executada recentemente fui eu que fiz a instalação elétrica, e para controlar toda a iluminação e o aquecimento usei 12 sonoff 4ch x15€ = 180€. Vejam se fazem o mesmo com KNX?


(Tiago Marques) #61

@Mervoes Já resolveste o ghost switching? :grin::woozy_face: